Descomplicadas

Publicado em abril 5th, 2014 | por Maju Duarte

0

EM MAUS LENÇÓIS?

Trocar o nome do atual pelo do ex, receber uma “cutucada” nada prazerosa pela porta dos fundos… Quem nunca passou por uma dessas situações, um dia, sem dúvidas, vai passar

Afinal de contas, quando se está no rala e rola, inúmeras situações esdrúxulas podem pegar de surpresa homens e mulheres. Para quem passou ou vai passar por um momento constrangedor na cama, como ser uma lady ou um gentleman nessas ocasiões? O fato é que são muitos os casos de pessoas que não sabem como se portar em situações desconfortáveis numa transa.

Sexóloga há mais de 25 anos e sócia-fundadora da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana, Rosenilda Moura da Silva observa um grande número de pessoas que a procuram no consultório para lidar com esse tipo de imbróglio que acontece seja com parceiros estáveis ou peguetes ocasionais.

“As pessoas não estão acostumadas a falar de sexo com seu parceiro ou parceira. E algo fundamental na relação é a comunicação. Se começarem muitas brigas em função de discordâncias sobre o que um gosta e o outro não, deve-se refletir se é bom e saudável continuar na relação. Porque no sexo deve haver um acordo, uma harmonia. Se não, forçar a barra do outro pode acarretar em uma violência física e psicológica”, alerta.

Jornalista e autora do recém-lançado “Guias do Sexo Ilustrado”, Helena Almeida, 29 anos, não disfarça: já descascou cada abacaxi que aprendeu a se levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Com muita classe, claro. Popularmente conhecida como Lasciva, pseudônimo que adotou e com o qual tira dúvidas dos internautas que visitam seu blog, há três anos no ar, ela tira de letra qualquer embaraço embaixo dos lençóis.

Enfática ao defender o sexo como algo que só pode ser prazeroso e não uma obrigação ou performance, Lasciva aposta em uma etiqueta sexual livre, a depender das preferências e da forma como cada um se expressa na cama. Tanto que, ao responder a pergunta mais popular feitas no blog pelos caras – “como convencer minha namorada a fazer sexo anal?” –, ela avisa logo às meninas: “Só faça o que estiver afim de fazer”. O resto é conversa pra boi dormir.

(Confira mais dicas na matéria “Etiqueta Sexual”, revista NOVA/abril, com colaboração da nossa colunista Maju Duarte)

[Foto: Lulu Lovering]

Tags:


Sobre o Autor

Jornalista brasiliense de sangue pernambucano e espanhol, ela jura que é a Velma do Scooby-Doo, mas é tão avoada quanto a velha surda da Praça é Nossa. Cuma?



Os comentários foram encerrados.

Subir ↑