Descomplicadas desgraca

Publicado em abril 1st, 2013 | por Fabiana Deggerone

0

SCHADENFREUDE

Há pouco comecei a ler o livro Golpes Bilionários, de Kari Nars, que começa o texto com a expressão “schadenfreude”.

Muitos já devem conhecer a palavra da língua alemã. Eu mesma já tinha ouvido e deixado de lado, mas, como me deparei novamente com ela, comecei a pensar um pouco mais no seu significado.

Segundo o autor do livro, “schadenfreude” significa “extrair prazer da desgraça alheia”. Em uma busca rápida no oráculo do século XXI, o Google, encontramos a explicação: “palavra de origem alemã usada também em outras línguas do Ocidente para designar o sentimento de alegria ou prazer pelo sofrimento ou infelicidade dos outros. Esta expressão vem da junção das palavras schaden (“dano”, “prejuízo”) e freude (“alegria”, “prazer”).” Meu marido fala alemão, e me falou que podemos entender também como “alegria sombria”.

O fato é que todos nós sentimos isso. Você pode até dizer que não, que só deseja a felicidade das pessoas, ou, como o autor do livro cita, que é um sentimento dos criminosos viciados em sentir prazer com a desgraça alheia.

Mas será mesmo? Pense um pouquinho…quando demitem aquele colega de trabalho mala que você nunca suportou dá uma alegriazinha, não dá? E quando você reencontra aquela ex-colega de colégio que era a “fêmea alfa” enquanto você era a nerd feiosa e descobre que ela embarangou geral? Você sente um ar de realização, não sente?

O fato é que todos nós sentimos isso. Você pode até dizer que não, que só deseja a felicidade das pessoas, mas será mesmo?

Pense nas coisas corriqueiras, mais simples, como quando o motorista que andava pelo acostamento toma uma multa da polícia. Ah, isso dá um prazer inenarrável! Ou quando aquele cara que andava por aí aplicando golpes aparece algemado na TV? Aliás, políticos indo para a prisão são um excelente schadenfreude. Pena que acontece tão pouco. Deve ser por isso que é tão bom. E o que dizer das novelas? Por que os índices de audiência batem recordes quando a vilã leva uma surra? Schadenfreude. Todo mundo gosta de ver a vilã se dar mal.

Vamos um pouco mais adiante. Você gosta de piadas, certo? Claro que sim, todo mundo gosta. Há uns dias li uma frase do Alex Castro, no blog Papo de Homem: “Não existe piada inofensiva. Se alguém gargalhou é porque alguém se fudeu”. É a verdade pura e simples.

Todos sentimos schadenfreude, por menorzinho que ele seja. E ele é bom. Dá um prazer imediato, uma realização momentânea e passageira, uma inflada de ego que às vezes levanta o astral em um dia que está dando tudo errado. Não sinta vergonha do seu, mas também não precisa ficar mostrando pra todo mundo. Use quando precisar, mas não provoque. Ao provocar algo para sentir schadenfreude, você pode acabar sendo a vítima. E aí os outros é que vão sentir por você.

Tags: , , ,


Sobre o Autor

Gerente de marketing da Apex Distribuidora, mãe em tempo integral e escreve alguma coisa de vez em quando.



Os comentários foram encerrados.

Subir ↑