Descomplicadas ansiedade_dentro

Publicado em março 22nd, 2012 | por Luisa Nucada

8

VIGÍLIA

Tic-tac, tic-tac, agora só me restam cinco horas, você calcula, depois de algum tempo virando na cama feito panqueca.

A cabeça está no travesseiro e o corpo na horizontal, mas a mente vaga em todas as direções e não permite repouso. Elas não te deixam dormir, elas, as preocupações, obrigações não cumpridas, metas não alcançadas, martelando na sua cabeça, sem cessar, sem cessar. O corpo está teso, você precisa, mas não consegue relaxar, você está cansado e não tem ânimo nem pra se tocar. Só queria ser menos gente, só queria ser uma máquina para desligar. Para de funcionar cérebro, parem, hormônios, seus loucos, me deixem em paz! Por que eu não sou um fungo? Ou um cachorro? Seria tão mais fácil…

Fim de semestre, relacionamentos minados pela falta de dedicação, as olheiras já conquistando o território das maçãs do rosto e a imunidade lá no subsolo dá as boas-vindas a toda sorte de doenças oportunistas. Aí a gente liga pra mãe chorando, quer jogar tudo pro alto, tocar o foda-se, jantar pipoca, ler por lazer, e se pergunta quando, quando é que vou ter tempo pra ser feliz?

Fadiga, estafa, enxaqueca latejando nas têmporas, tensões entrelaçadas formando nós nos músculos e dor no pescoço, estresse cáustico, corrosivo, à prova de lágrima, massagem ou chá de camomila. Ansiedade, a culpa é dela, mãe de todos os males. Companheira de sempre, roeu minhas unhas na infância, suou minhas mãos na puberdade, digeriu meu estômago no pré-vestibular e agora arranca meus cabelos, um por um, um por um. Tão querida e conhecedora de mim, foi variando suas manifestações pra não me entediar.

Ansiedade, companheira de sempre, roeu minhas unhas na infância, suou minhas mãos na puberdade, digeriu meu estômago no pré-vestibular e agora arranca meus cabelos, um a um

Ansiedade. É ter pressa sem estar atrasado, comer cru por não esperar cozinhar, queimar a boca, impaciente de soprar. É mastigar rápido e morder a parte interna da bochecha, tragar rápido engolindo um monte de ar, se mover rápido e manchar a roupa de molho e derrubar o garfo no chão. É sentir uma inquietude que não se sabe de onde vem e quase ouvir o barulho do sangue acelerado nas veias, correndo não se sabe pra onde, não se sabe por quê.

Você roga, você implora e pede pelamordedeus, vem inconsciência, me envolve no seu breu, vem Morfeu, me leva nos seus braços, vem sono REM, vem… e por fim você apaga, mas não há descanso, seus medos vem te visitar disfarçados de sonhos.

O celular berra e te desperta de assalto, inaugura o dia com uma taquicardia doída e você já vai correr atrás do que não foi feito ontem antes mesmo de limpar os olhos. Relaxa, nada como um dia após o outro, um dia após o outro, só não sei se é prisão ou provérbio.

Ai que fobia do futuro, que aversão pelo vindouro, que vontade de voltar pro útero e ser parasita de novo. Tô saturada. Farta dessa cobrança alheia e própria, dessa obsessão por provar pros outros que sim, eu posso, eu consigo, sim, pros outros, porque pra mim mesma eu já pedi penico faz tempo. Tô cansada de não ter amigos, só concorrentes. Basta, chega de tentar dar um passo maior que as pernas sem nem ter aprendido a caminhar sozinha direito.

Tic-tac, tic-tac, tic-tac. Autocontrole, serenidade confiança, segurança. Cadê vocês? Paz. De espírito, de agenda, de consciência, te quero, te espero, vem, vem. Tranquila, relaxa, respira, tudo vem o tempo, com a idade, paciência… Tic-tac, tic-tac, quanto tempo resta? Que não seja tarde demais.

Tags: , ,


Sobre o Autor

Goiana, cruza de japonesa com baiano, estudante de jornalismo. Alimenta-se de histórias e escoa aqui e em www.anucadadisse.blogspot.com sua tagarelice mental.



8 Responses to VIGÍLIA

  1. Paulo Motta says:

    Muito bom texto! Parabens. Está ansiosa pra ver quantos cometários e curtidas vai rolar…??? haha brincadeira….

  2. Thayse says:

    Perfeito pra final de semestre, de faculdade e um TCC pra terminar. Ótimo texto, parabéns!

  3. Martha Lima says:

    Adorei!!!

    Muito intenso e verdadeiro. Vamos tomar chá de Valeriana?rs

  4. Di says:

    é muito mais do que isso…………..

  5. Thaise says:

    Luisa Nucada… Você é tão ansiosa quanto eu… soube descrever em detalhes tudo que sentimos. Que loucura! ADOREI e compartilho!

  6. jussara says:

    A descrição perfeita da ansiedade!

  7. Clarissa says:

    Esqueci de colocar no outro comentário, eu sou tão ansiosa, mas tão ansiosa, que nasci prematura!!!! A ansiedade já existia em mim.

  8. Clarissa says:

    Gente, esse texto sou eu… acho que vou procurar tratamento antes de infartar!!!

Subir ↑