Na rua cafekiwi_dentro

Publicado em janeiro 5th, 2012 | por Revista Naipe

6

COMPETÊNCIA IMPORTADA

Do México, Marco trouxe seu bigode e conhecimento de tequilas. Da Inglaterra, Simon trouxe expertise em cervejas. Da Nova Zelândia, Anne trouxe aversão ao excesso de açúcar dos bolos brasileiros.

Estabelecimentos com donos gringos tendem a garantir diferenciais no cardápio e nos serviços. Marco, dono de seis restaurantes no seu país de origem, montou em Florianópolis a México Lindo Taqueria (R. Rafael Bandeira, 327, Centro; 3024 8026; ter. a dom., das 19h à 0h). Para abrir os trabalhos o cliente tem 75 opções de tequila (R$ 10 a R$ 38 o shot). Depois, parta para os combinados de dez tacos com até nove acompanhamentos (R$ 25 a R$ 28, para duas pessoas ou um ogro), como o comovente Gallito.

No Café Kiwi (R. Miguelinho, 93, Centro; 3224 0155; seg. a sex., das 8h30 às 18h), nove mesas se dividem entre os dois andares exíguos e a área externa. Não poupe os muffins e os bolos que Anne prepara sem leite condensado. Para acompanhar, além de cafés há o chá de pêssego natural da casa. Mas a maior dica é o almoço. Há sempre quatro opções – salada, risoto, massa e algo diferente (todos R$ 18 a R$ 20) – com resultados dignos dos melhores bistrôs. A má notícia? O lugar não abrirá de 23/12 a 16/1 para férias gerais, já que a pequena viela onde está não é foco de turistas na época.

Também gringo, no centro, é o italiano proprietário da Hosteria Sapore di Sale (R. Bocaiúva, 1925, Centro; 3223 1572; seg. a sáb., das 19h às 23h30), restaurante a partir de R$ 90 por pessoa mas com mais de 200 vinhos na carta e pães, massas e molhos de fabricação própria.

Quase na mesma faixa de preço, o Delícias Portuguesas (R. Visconde de Ouro Preto, 559; 3224 6448; ter. a sáb., das 11h30 às 23h30) é capitaneado pela lusitana Maria Helena. Além do esperado bacalhau, a casa tem iguarias como o pastel de Belém (R$ 3) e a trouxinha de Coimbra (R$ 6).

Fora do centro, destaque para a pizzaria do italiano Tomazzo, o pub do inglês Simon e o café do francês Benoit (ainda bem que nesta ordem de propriedade).

Tomazzo é quem alimenta o forno à lenha na Elba D’Itália, na Cachoeira do Bom Jesus (Av. Luis Boiteux Piazza, 3481; 33 69 1901; diariam., das 19h30 à 0h; fora do verão, apenas sex. a dom.). A massa finíssima e o exclusivo tamanho de quatro fatias, incomuns entre as redondas em Florianópolis, conquistam muitos clientes e fazem da Elba a referência maior do gênero no norte da ilha. A Itália (composta de pesto de rúcula, molho de tomate, queijo de búfala e tomate cereja) e a Asparagi (muçarela, aspargo verde, queijo tipo brie e speck), provas da competência da casa, saem por R$ 28.

Na SC-401, Benoit Cousin responde pelo Café François (8600, Saco Grande; 3226 0004; seg. a sáb., das 9h às 21h30; clientes não pagam o estacionamento do Corporate Park). Formado por uma das principais escolas gastronômicas do seu país, a Lenôtre, Benoit viu o avô fazer pão na padaria familiar e passou por cozinhas de diversos países até se estabelecer na ilha em 2007. Aqui, abriu seu espaço com vinhos, sanduíches, confeitaria, empório e panificação. A casa, agora em novo endereço, preza pela sutileza: croissants como o de chocolate (R$ 4,50) apostam mais na excepcionalidade da massa que em excesso de recheio. Entre os sanduíches, uma das promessas de grunhidos felizes está na opção com tomate, pepino, creme de leite, balsâmico de frutas vermelhas, sal e pimenta (R$ 19,50). Há degustação de vinhos com 15 rótulos sempre a R$ 12,50 a taça. Para masoquistas, há iguarias em fotos reais no site.

Na Lagoa, Simon capitaneia o Black Swan Pub (R. Manoel Severino de Oliveira, 592; 3234 5682; de dom. a qui., até 0h; sex. e sáb., até 2h), lugar de qualificados rocks, jazz e MPB ao vivo, cervejas especiais (destaque para as inglesas), chopes de seis tipos, culinária zelosa, variada programação esportiva na TV e não-cobrança de 10% da taxa de serviço – compensando um pouco os até R$ 15 de entrada à noite. Para comer, no almoço todo o cardápio do pub é mantido e há refeição com salada, prato principal e sobremesa por R$ 14,95. Entre os itens avulsos, a Naipe experimentou o hambúrguer com 200 g de salmão (R$ 18,50, com fritas) e o ensopado de carne com Guiness e purê de batata (R$ 17,50). Soberbos. O lugar só não é ideal como happy hour (é escuro) e centro de pegação (tende a ser civilizado).

Tags: , , ,


Sobre o Autor



6 Responses to COMPETÊNCIA IMPORTADA

  1. Roberto says:

    O sapori di sale ali da bocaiúva é um italiano “carcamano”, ou seja, ele carca a mão no seu bolso!!! 90 reais por pessoa é um absurdo!! Eu e meu pai cozinhamos e elaboramos pratos melhores com ingredientes de primeira sem gastar metade disso!

  2. Ernesto Alvarado says:

    Ótima descrição dos serviços e magníficas opções para apreciar produtos de qualidade e sofisticação. Fan incondicional do MéxicoLindo Taqueria! \o/

  3. Rudmar says:

    Parabéns pela reportagem!!!
    Seria interessante também, conhecer novos lugares, como o nosso, em Laguna: Lali’s Café. A nossa competência também é importada, fruto de 8 anos que vivemos nos EUA, mas somos Brasileiros. Temos um perfil no Facebook e página na internet (www.laliscafe.com.br)

  4. Eduardo says:

    Não podemos esquecer da pizzaria Milano de proprietários Italianos e com pizzas fininhas, pequenas e de espetacular qualidade!
    Fica no Centro, na bocaiúva!

  5. Gatinha says:

    Tem coisa bom no clickRBS. Agora é escolher

  6. Guilherme says:

    Já tive o prazer de apreciar a culinária no Café François e na Elba D’Itália, ambos os lugares eu super recomendo. Agora com as dicas pretendo conhecer os outros!

Subir ↑