Na rua belasdaweb_capa

Publicado em fevereiro 15th, 2012 | por Revista Naipe

8

NA CAM

[Por Iana Lua]

A calcinha, o sutiã, e a liga de perna vermelhos com renda preta sobem e descem devagar com a respiração. Kelly, tatuagem acima do seio esquerdo, está na frente da câmera à espera de clientes.

Muita gente gosta de fazer traquinagens nas webcams. Seguindo tendência global, um site de Florianópolis profissionalizou: 43 mulheres na cam a R$ 0,80 o minuto no conforto de sua casa – ela na dela, você na sua.

Entrar na intimidade das atendentes vai muito além de enxergar as partes. Bella Mulata, biquíni asa delta, faz malabarismos na cadeira para mostrar seu melhor ângulo enquanto assiste Vale a pena ver de novo; Kelly, lingerie vermelha, passa roupas no quarto; Ruth, shortinhos Carla Perez, esfrega o tapete da sala.O lençol velho, a aliança na mão esquerda, o urso de pelúcia em cima da cama, as fotos de família: tudo isso deixa a impressão de que aquela loira segurando um vibrador poderia ser a sua vizinha.

De bobeira

Quem entra no Belas da Web escolhe uma entre as proverbiais brasileiras carnudas. Na sala aberta (sem limite de pessoas) a conversa começa devagar, muitas vezes puxada pela própria atendente: “Quer ver mais? Vem no privado que eu mostro”. Lá o preço dobra, R$ 1,60 o minuto. A atenção é exclusiva e o varão pode pedir o que quiser.

Na labuta, Kelly anda cheia das estatísticas: 20% dos homens pedem para ver penetração, 30% querem realizar fantasias como pintar as unhas e os 50% restantes estão ali mais é pelo papo

Na labuta, Kelly anda cheia das estatísticas: 20% dos homens pedem para ver penetração; 30% querem realizar fantasias como pintar as unhas, cozinhar e em casos extremos… bem, mundo mundo vasto mundo; os 50% restantes estão ali mais é pelo papo. “Só querem conversar, mesmo.”

E assim o site funciona como acolhedor de causas perdidas. É o marido carente sem atenção em casa; o tímido sem mulheres na vida real; o adolescente necessitado.

O pico de visitas acompanha o dos lupanares de centro de cidade: durante o almoço, final do expediente e madrugada. Como muitos acessam do computador do trabalho, nos finais de semana o movimento cai. Segundo os donos o site, no ar desde o começo de agosto, já acumulou quase 10 mil visitantes.

As atendentes não tem horário fixo. Muitas estudam, têm outro emprego ou são casadas, com filhos, e por isso só ligam a webcam quando estão de bobeira e sozinhas.- Você faz real?- Só virtual, meu amor.

Tchau

Rayslla bate papo profissionalmente há dois anos para pagar a faculdade. Antes, era dona de casa. De resto, não quis se abrir para a Naipe. Apenas admitiu que começou pelo dinheiro mas que com o tempo o negócio se tornou gostoso: “Sinto prazer. Até porque, se não sentisse, não conseguiria trabalhar bem.”

A entrevista com Loira Safada revela mais: “Até já tive um orgasmo virtual, mas na grande maioria das vezes tenho que fingir”. A ex-garota de programa diz gostar mais desse trabalho do que do anterior: “Agora ganho bem e posso trabalhar de casa.”

Kelly, também ex, descarta as preliminares na conversa com a reportagem: “Faço por diversão. Gosto de me sentir atraente, dos elogios dos homens”. Voltar pras ruas? Ni jodiendo. “Pela internet não precisa ficar aturando catinga de homem bêbado. É mais higiênico. E se for mal educado, desligo a webcam e tchau.”

Mas o que mais segura as meninas na lida virtual, por supuesto, é o dinheiro. Ganham, dizem, cerca de R$ 3 mil por mês – e a quantia cresce generosamenete dependendo do tempo despendido online. “Enquanto a grana for boa eu continuo trabalhando”, diz Rayslla.

Kelly, a entusiasta, vai mais longe: “Não pretendo parar nunca!”

Para ser atendente elas não precisam cumpror muitos pré-requisitos: têm webcam, boa conexão da internet e mais de 18 anos; além disso, enviaram quatro fotos suas ao administrador. Criatividade e paciência vão bem. Às 9h da manhã, Delícia Xana estava de burca, calcinha e sutiã, tentando despertar o fogo dos sonolentos online:

– Hummmmmm. Por que vocês estão tão calados, bonitões?

Tags: , , , ,


Sobre o Autor



8 Responses to NA CAM

  1. o_cara says:

    Mulher gosta de DINHEIRO quem gosta de PERU é bicha…rsrrsrs

  2. Cristiano says:

    eu transo virtualmente e transo com as meninas universitárias da ufsc, principalmente aquelas que ‘tem’ que pagar aluguel em dia heHehe

  3. Marcos says:

    Mulheres não gostam de sexo??? Mulheres não gostam de sacanagens na cam??? AFF!!! Os homens tambem deveria cobrar por esse tipo de “serviço”. Como se só homens sentissem necessidades sexuais! Francamente! Enquanto tiver trouxa pra pagar… Chega disso! O homem tem o que a mulher quer e vice versa! Ponto. Chega! Uma mão lava a outra, e ponto final. Que saco!!!! Quando vai acabar essa palhaçada!!!???

  4. De says:

    ah…que tédio

    pq tanto alarde e divulgação?

  5. dilma says:

    Voces estão reclkamando do que? A maioria dos namorados e maridos das minha amigas freuqentam internet e na frente delas fazem cenas de ciiumes! Já sei!!! a reclamação é so pq tem que puxar graninha do bolso não é? Pois estão muito certas. Querem além de mulher decente para levar para cama ainda querem de graça? Pára né ?

  6. holístico filosófico says:

    Cidade da putaria….de todas as formas e jeitos….
    Futilidade impera à espera de qualquer carcaça cheia de dinheiro, ou gringos endinheirados por mais falcatrua que sejam…PQP é a pura verdade

  7. Joao canabrava says:

    Que chinelagem. E pode crer que os homens que pagam isso são uns fraquinhos mesmo. Alimentam essa vagabundagem e depois não sabem porque namoram prostitutas (de tanto que tem) e só depois de serem sugados se dão conta….seus burro… e elas conseguem ver que essa vida rende bastante grana, mas tb é só isso, nada mais….porque o futuro….aaa o futuro, e se… o futuro pudesse avisar a todos o que lhes esperam, nada disso teria espaço.

  8. Marcelo says:

    Parabéns pela matéria, ótima indicação!!!

Subir ↑