Na rua palmeirinhasdentro

Publicado em julho 28th, 2011 | por Revista Naipe

130

NÃO GOSTO

“Qual o limite de linhas?”, pergunta a universitária à Naipe durante a entrevista por email. “Porque eu já respondi as perguntas, mas sempre tem mais material quando o assunto é falar mal de Florianópolis.”

Sim. A Florianópolis elogiada pelo New York Times, adulada pelos guias turísticos, sacralizada pela mídia em geral não é, como fazem crer, uma grande ciranda de moradores cantando de mãos dadas o Rancho de Amor à Ilha – ou pescando a própria tainha no final de tarde, como descreveu a Veja em matéria mais elogiosa que a canção de Zininho.

Por que se ouve tão pouco os descontentes? E os jovens, eles gostam de viver aqui?A Naipe não encontrou pesquisas que questionem isso, mas, para tentar conhecer melhor a opinião de quem não compra a ideia de Floripa-paradise, lançou uma enquete online: “Você gosta de viver em Florianópolis?”. Ao final, 170 pessoas responderam as três perguntas. Os resultados:

“Você gosta de morar em Florianópolis?”
Razoavelmente, sei dos problemas da cidade mas não deixaria de viver aqui: 63%
Não gosto. Quero ir morar em outra cidade: 21%
Sim, muito. Jamais me mudaria daqui: 13%
Odeio. Só moro aqui porque sou obrigado: 3%

“Caso não esteja satisfeito, qual seu principal motivo?”
Infraestrutura: 32%
Falta de opções de lazer/culturais: 20%
Provincianismo: 14%
Mercado de trabalho limitado: 14%
Outros: 20%

“Você acredita que Florianópolis é superestimada?”
Sim: 78%
Não: 22%

Aglomerado de praias

A estudante da Udesc Julie Maillard é do time do “odeio”. Ela não vê a hora de se formar e ir embora: “O problema é que tenho dificuldade de ver Florianópolis como uma cidade. Isso aqui é um aglomerado de praias com um centrinho ‘urbano’ diminuto e que oferece opções na mesma medida em que investe no transporte público – cada vez menos”.

A sua principal crítica é em relação à falta de diversidade: “E antes que comecem com histórias sobre a natureza, praias, Mata Atlântica, Rendeiras e seja lá o que mais, falemos de diversidade cultural, musical, de entretenimento e de públicos. As pessoas esquecem que nem todo mundo que mora aqui é surfista, gosta de praia ou ouve reggae”, destila, e se empolga:

“Sem contar que a impressão que se tem é que a ilha foi enclausurada numa bolha do tempo. Tudo demora uma eternidade pra chegar aqui e mais tempo ainda pra finalmente ir embora. Isso se aplica a filmes, shows, lojas, modismos e qualquer tipo de informação, que parece encontrar na ponte Hercílio Luz uma barreira intransponível.”

Não, não é um caso isolado e nem exclusivo de quem veio de fora.

O manezinho estudante de Arquitetura da UFSC Augusto Ramos também acredita que Florianópolis é um deserto cultural, mas o que mais lhe incomoda é a falta de organização. “Aqui nada funciona. O transporte é um lixo, o asfalto é um nojo e o que tem de lazer, além de ser ruim, é caro”. Augusto também se irrita com a mentalidade de moradores que propagam a campanha fora-haole: “É um pensamento mesquinho, como se o nativo fosse melhor do que os outros. Eu sou daqui e sempre fui muito bem recebido em outros lugares”.

Ele pretende se mudar para Curitiba, Porto Alegre ou São Paulo assim que puder: “Sem dúvida aqui é melhor pra passar férias do que pra morar”.

Não pode falar mal

A estudante de moda Tchéri Netto, que morou a vida toda na ilha, costuma receber muitas críticas à sua opinião negativa sobre Floripa. “Acho que as pessoas aqui têm mentalidade muito pequena. O mundo evolui, as pessoas evoluem, mas parece que a ilha fica estagnada naquele comportamento de cidade de interior.”

“Em São Paulo ninguém fica ofendido com quem fala mal da cidade, não tem esse orgulho todo”, avalia o jornalista Luiz Augusto Fakri. Paulistano, ele veio todo faceiro estudar na UFSC em 2001, animado com a possibilidade de viver o sonho do eu-moro-onde-você-passa-férias. Mas desencantou. Percebeu que pegava o mesmo trânsito que em São Paulo, passou a ouvir comentários sobre “roubar vaga dos outros na universidade” e se deu conta de que preferia cidades maiores.

Assim que se formou, ele voltou para a capital paulista: “Gosto de Florianópolis, mas não voltaria a morar aí porque sou mais urbano. Floripa não é pequena de população, mas tem uma mentalidade de cidade pequena. Não é que eu não goste das pessoas, tenho muitos amigos aí. Só acho a mentalidade imatura pro que a cidade é.”


Sobre o Autor



130 Responses to NÃO GOSTO

  1. Tales says:

    O problema de toda cidade no Brasil é o crescimento desordenado. Floripa, Balneário e outras eram ótimas; agora estão todas uma bosta. Agora moro na serra catarinense que esta rumando pra mesma coisa.

  2. Diego says:

    Florianópolis é uma cidade linda,com ruas limpas,belas mulheres,pessoas gentis.
    Mas quando vc. mora,a história é outra,não tem trabalho,péssimo salário,os manezinhos fazem panelinha e são xenófobos,por medo mesmo de perder lugar.
    Morar em Florianópolis só com dinheiro.Os habitantes não têm interesse em desenvolver a cidade com medo que se transforme em outras capitais do Brasil,com muitos problemas.É um desafio,deverá se exigir um desenvolvimento sustentável,e se a natureza não for respeitada,será o fim da cidade.

  3. FABIANO says:

    continuando: DO RESTO, PESSOAL, NADA DE EVOLUÇÃO! INCRÍVEL! FICO DOENTE QUANDO PERCO HORAS PRESO NA TRANQUEIRA DE CARROS, INICIADA LOGO APÓS O POSTO DA POLÍCIA RODOVIÁRIA, INDO PRO CENTRO, BEM ANTES DO CAMPECHE! A POLÍCIA PASSA E FAZ DE CONTA QUE NÃO É COM ELES!!! NOSSA, EM PORTO ALEGRE, QUANDO TRANCA TUDO A POLÍCIA DESCE DA VIATURA, PÕE UM APITO NA BOCA, COORDENA O TRÂNSITO ATÉ QUE SE DESFAÇA O CAOS: AQUI, PASSIVIDADE ESCANCARADA! PUXA, FICA MUITO FEIO A POLÍCIA RODOVIÁRIA FAZENDO DE CONTA QUE TAMBÉM NÃO ESTÁ A HORAS TRANCADA NAQUELE TRÂNSITO. É TRISTE. AH, JÁ SEI: “VAI EMBORA ENTÃO!” NADA DISSO, MANEZINHOS! VÃO VCS EVOLUIREM! PAREM DE CONTRARIAR A EVOLUÇÃO DA VIDA! ACHEI 10 QUANDO LI AQUI QUE A PONTE NÃO DEIXA O PROGRESSO ENTRAR! HEHE…ACHEI QUE SÓ EU TINHA PERCEBIDO ISSO… BOM, POLÍTICA ENTÃO NEM SE FALA: 1.200.000.000 NUMA ÁRVORE DE NATAL??? 47.000.000 PARA REFORMAR UMA PONTE??? PÁRA! ME ANOJEI !!! CONTINUO SE ALGUÉM ME DISSER QUE ESTOU ERRADO… EVOLUÇÃO!!! URGENTE!!! ABRAÇO!

  4. FABIANO says:

    BOA TARDE A TODOS. SOU GAÚCHO E MORO EM FLORIPA HÁ 03 ANOS. VIM PARA CÁ A TRABALHO, POIS SELECIONARAM MEU CURRÍCULUM LÁ EM PORTO ALEGRE. SOBRE AS PRAIAS DAQUI, SÃO LINDAS, MORO BEM NO SUL DA ILHA, ONDE AINDA OS LOCAIS SÃO BEM PRESERVADOS. JÁ O NORTE, ACABOU. continuo…

  5. Gabriel says:

    A mesma ladainha de sempre: fora-haole, pouca cultura, reduzir a cidade em “ilha”, etc.

    Esta história de fora-haole é só pro povinho universitário da UFSC, nem em regiões como Tapera e Ribeirão o pessoal sabe desta história.

    Pouca cultura? Como vocês querem mais cultura se estamos falando de Brasil, onde a cultura é não ter cultura? Eita racinha que pede pra Florianópolis ser a Dinamarca nas américas.

    Florianópolis não é só uma Ilha. Começaram bem em colocar a parte continental, mas em nenhum momento na matéria ficou claro que Florianópolis vai além desta ilha.

    Mané? Os cariocas aprenderam com Bezerra que ‘malandro é malandro e mané é mané’. Por favor! Tratem com respeito quem é florianopolitano.

  6. carlos says:

    Parabens a Naipe por iniciar(foi a ponta do iceberg)intuitivamente um grande debate pela sociedade local…aqui muitas (in) verdades já haviam sido ditas e estão sendo ratificadas agora no mural SALVE FLORIPA…a conclusão que tiramos é que muitos de nós queremos bem esta cidade e precisamos repensá-la… resgatá-la de um lugar ruim em que a colocamos… valeu Thiago…”não as drogas, alcool e sexo inconsequente” que é prá merecermos algo melhor…cuidaremos melhor de nossos filhos… eles são o futuro…que vai ser mehor se nos envolvermos verdadeiramente…

  7. Cristiano says:

    Isto aqui vai afundar com tanta gente, saiam daqui seus forasteiros haHaha

  8. Marcelo says:

    É Praia das Palmeiras. Também já morei lá e sou ilhéu.
    Os insatisfeitos que se mudem. Vai melhorar o trânsito.
    O sotaque local é realmente muito feio.
    Cntribuição para o país : Lazer para os de outros estados.
    Manezinho no meu tempo era pejorativo, agora dá “status”…

  9. Equipe Naipe says:

    Lu

    Sim, é Praia das Palmeiras, está lá na placa da entrada :)
    Mas “Palmeirinhas” é pra manezinho que já morou por lá. Nos demos a liberdade por isso.

    Abraços.

  10. Lu says:

    O nome correto da praia na foto é PRAIA DAS PALMEIRAS e não Praia das Palmeirinhas conforme está na matéria.
    Sendo o tema abordado sobre a própria cidade, deveria começar escrevendo corretamente o nome do local. Perdeu toda a credibilidade..

  11. Gabriel says:

    Florianópolis é a melhor cidade do Brasil para se viver, claro que existem problemas, e o maior deles é a prefeitura, porém mesmo com esses per causos continuamos morando em uma ilha maravilhosa
    Pra mim isso tudo que dizem de mal da ilha é pura inveja, me desculpe mais nenhuma cidade do País tem praias melhores que as nossas, e nem mulheres mais bonitas
    Para os que não gostam de Floripa, VÃO EMBORA, e nunca mais voltem, essa cidade não precisa de gente que vem estragar a nossa cidade e ainda se acham no direito de falar mal
    E nem venham com esse papinho de “sem turista, Florianópolis não é nada”, porque a Ilha só piorou com a ocupação desordenada, violência, pobreza, trânsito caótico entre outros problemas que não existiam antes da chegada da turistada

  12. Filipe says:

    Olha na verdade, se colocar na ponta do lapis e analisar mesmo, não existe paraíso, é uma ilusão achar que mudando de cidade vai ser um paraíso, não vai existir transito, o transporte público vai ser pefeito e etc… A pessoa pode achar que é bom no começo, mas quando começa a conhecer os problemas que uma cidade tem, o desgosto pelo local e a vontade de ir embora para outra cidade, começa a surgir… Para que o mundo fosse uma maravilha, só se todos morressem que nascesse novamente, pois ai sim poderiamos criar um mundo com coisas boas. Mas como todos nós somo seres humanos, e erramos e muito as vezes, não exite paraíso para se viver. O que nos resta é tentar manter a aparência da vida que temos na cidade…

  13. Giuseppi Garibaldi says:

    Aos que criticam e aos que se enfezam, se lhes convida a refletir: entre os daqui que nunca fizemos nada para melhorar esta cidade horrível, e os de fora que tampouco ajudam, o único que vale nesta cidade, ou melhor, nesta ilha, é a beleza natural, só que isso foi obra da Natureza e aí ninguém tem mérito, pois ambos, aqueles e estes, só fazem estragar a mesma. Seria bom se todos fossem embora, pois ninguém valoriza este pedaço de terra, e deixassem de falar em Flops international por causa de meia dúzia de bocós que vêm de fora para torrar dólares na nossa cara

  14. Leo says:

    O pessoal daqui esquece que é graças as pessoas de fora da ilha que eles vivem o resto do ano.
    Vcs já pensaram se todos os turistas e “haoles” acharem lugares melhores para passar o verão, o que seria de vcs?

    Hoteis vazios
    Pescadores, pescando pra comer.
    Restaurantes fechados, tendo em vista que a grande maioria dos restaurantes não são propriedade dos nativos e sim de “haoles”.

    De onde seiria o $$$$ ?
    O pessoal esquece que com exceção das praias, Florianópolis é completamente inutil para o Brasil.

  15. vania says:

    Não concordo com esse povo que vem de fora e fala mal de Florianopolis.Primeiro se é tão ruim viver aqui pq não muda de cidade.Vai para São Paulo respirar ar poluido e ser assaltada em cada esquina, ou vai pedir informações para aquele povo fiu de Curitiba caso prefira Poprto Alegre vai dar uma voltinha no Moinho de Ventos…Sou gaucha e estou aqui a 5 anos, posso garantir que estou muito satisfeita profissionalmente e em outros quesitos tb, não gosta de praia cai fora, não ta satisfeita com o trabalho muda, só não fica enxendo o saco de quem gosta…

  16. Luiz says:

    Um lugar ser melhor ou pior vai do ponto de vista de cada pessoa. Não sou de Florianópiolis mais gostaria muito de morar lá, vou a cidade sempre que posso. Todos os problemas citados pelos insatisfeitos tem em outras cidades. Comparar a parte cultural com SP e RJ? É ruim né? Olha a quantidade de pessoas que moram lá e em Florianópolis. É estranho ver universitários reclamarem das coisas sem analisá-las direito.

  17. ricardo says:

    Sou Curitibano com muito orgulho, e uma cidade organizada e as coisas funcionam. Só que eu sou surfista e para mim, a vida lá não tinha graça sem ter o mar perto de mim.
    Para trabalhar com certeza lá é melhor, aqui se paga menos e a mentalidade das empresas esta ainda evoluiindo.
    Falam do povo curitibano, mas amigos que tenho aqui são de curitiba que tb moram aqui. já tentei várias amizades mas sinto o povo fechado para o pessoal de fora, mas adoro o pessoal daqui. E não vejo isso acontecer la mais não, curitiba hoje 40% é nativo, o restante é que nem aqui pessoal de fora.
    Tudo na vida é uma balança, o perfeito não existe mais, o homem já poluiu ou detonou.
    Não to aqui pra fazer comparações de cidade, amo floripa e não troco por nada, mas o meu perfil é mais natureza, menos urbanização. Ajudo a cidade, com o meu trabalho, pagando impostos. de resto estamos no mesmo barco!!
    Aloha!!!

  18. MARY EBEL says:

    Acho que deveria fazer uma triagem na entrada da cidade mandando de volta para suas devidas cidades de origem pessoas que vem tentar a sorte aqui, e depois fica reclamando de tudo o problema é que temos mais pessoas que vem de fora morar aqui do que nos manezinhos faltou espaço tranquilo para nós, fora aos reclamantes se já não deu certo em outras cidades construa uma do seu jeito só pra voce fora, não sugem a nossa bela cidade AMO FLORIPA É O MELHOR LUGAR PARA SE VIVER!

  19. Rodrigo says:

    Quando fui a Curitiba ou Porto Alegre, fui tão mal recebido quanto estes que para cá vem…aliás, por estes outros centros o bairrismo é ainda maior. Falta de estrutura? Se vc não faz parte da solução, faz parte do problema portanto vá trabalhar. O problema é que aqui em Florianópolis, recebemos o “refugo”…povinho que tentou a sorte em Curitiba, São Paulo, Porto Alegre…não deu certo, seqüelou e agora vem aqui para reclamar as dores da vida.

    Não gosta? Vai embora…

    A discussão nasceu morta… escuto isso tudo desde que me entendo por gente….hahaha…tô vacinado.

  20. Philip says:

    Na hora de vender qualquer coisa que seja, os turistas são bem vindos, na hora de hospedar alguém, o turista serve, na hora dos hoteis e pousadas fazerem caixa, aí os turistas servem, na hora de venderem peixes, lembram dos turistas, quem sabe os turistas cheguem na entrada da cidade e deixem dinheiro numa caixinha, façam meia volta e vão embora, talvez, Santa Catarina queira viver de esmola ao invés de vender bons serviços e produtos para quem quer que seja.

  21. Izabel says:

    Ao estudande manezinho da UFSC Augusto Ramos é bom dizer que ele, estudando arquitetura, e achando tudo um lixo, uma porcaria, deveria pensar em fazer alguma coisa na sua área para Floripa. Faça algo de bom para melhorar o transporte, a mobilidade urbana, e a imagem de Floripa e seja um manezinho de destaque. Em Sampa ou em Curitiba, vc só vai ser mais um.

  22. Beliza says:

    Nooooossa! O amontoado de praias da “estudante universitária” Julie Maillard chega a ser risível, cômico. E o que ela faz aqui? Estuda? Oras, não consegue ver Floripa como uma cidade? E na tua cidade, não tem universidade? Não conseguiste passar na universidade da grande cidade de onde você vem? Querida, Floripa dispensa tua presença!

  23. itamar says:

    E para solucionar o transito é só tirar a capital da ilha e levar par o interior , como fizeram com o Rio de janeiro ,levaram para Brasilia , imagina o Forum o marmitão com uma pitzzaria dançante no ultimo andar, que beleza , uma discotéca no prédio da assembléia e um baita hotel ,no predio do esacutivo ,devido o espaço fisico da ilha,não adianta fazer varias pontes se não tem como fazer o escoamento das mesmas,por melhor que seja a engenria da mobilidade.

  24. itamar says:

    Graças a deus que tem gente que não gostra de estar aqui, já temos muita gente e esta dificil a locomoção no transito, já demoraram ir embora , só fal ta a capital “ a burocracia ir tambem “ deixando as praias aqui já ta bom ,um abraço tchal xaropes.

  25. Estéfan says:

    Vamos parar com este provincianismo, e esta hipocricia de ficarmos falando mal uns dos outros (coisa que certos nativos adoram!!!!) E vamos contruir uma Florianópolis mais humana , justa e igualitária!!!!! Chega de picuinha e vamos trabalhar!!!!!!!!!

  26. Estéfan says:

    O que eu estou vendo aqui e de um lado nativos ignorantes de achando os donos de Florianópolis, e forasteiros esnobando a cidade!!!!! Todos estão errados!!!!! Aos manezinhos revoltados eu digo o seguinte: Vão deixar de ser preguisosos, provincianos e ignorantes!!! Pois “manezinhos”, somos todos nos que aqui vivemos!!! Indiferente se são nativos, ou se vieram para cá um dia em busca de uma vida melhor!!!!! A cidade não tem dono!!!!!!!! Todos nós contribuimos para que Florianopolis crescesce. Esta cidade nao seria nada sem a união dos nativos e forasteiros, que realmente lutaram para fazer uma Florianopolis melhor a cada dia!!!! Agora ao pessoal que veio morar aqui e não esta satisfeito, o legal seria eles relamente procurarem um outro local para viver!!!! Pois é muito desagradavel viver insatisfeito!!! Acho que se não podemos somar, também não vamos diminuir né pessoal!!! Se comparado a outras capitais da América Latina Florianopolis ainda sim, é uma ótima cidade para se viver!

  27. Patricia says:

    Os incomodados que se mudem!!!! Toda cidade tem problemas. A diferença é que Floripa, além dos problemas é um dos lugares mais lindos do mundo. E olha que não viajei pouco na minha vida mundo a fora hein.
    Bando de recalcado. Já morei em SP e aquilo lá em um lixo, um inferno. Cidade grande boa é NY, LOndres, Paris, não aquele esgoto a céu aberto de SP.
    Simbora da ILha bando de encardido.

  28. Hubert Beck Neto says:

    Uma coisa é certa, precisa-se explorar o turismo – ao invés do turista – e melhorar vias de acesso a ilha e circulação, por tanto, concordo com o que alguns colocaram, as pessoas precisam aprender a votar, primeiro, e tão importante quanto isso, aprender a cobrar!

    Todo mundo reclamou da greve dos professores, mas – considerando as óbvias repercussões negativas – é desse tipo de atitude inconformada, organizada e voltada para a mudança que precisamos. Movimento estudantil, passe livre, parada da diversidade, marcha da maconha, movimentos populares/artísticos/sociais de todos os tipos e vindos de todos os setores, esse tipo de espaço de discussão é que provoca as mudanças que precisamos!

  29. Hubert Beck Neto says:

    Acho a expressão “aglomerado de praias” ótima! Hahahahaha! Riu da ignorância, afinal… É UMA ILHA!

    Sabem o que se faz nas montanhas nevadas no resto do mundo? Esquia! E nos litorais de formação de onda? Surfa! E quando não forma? Pesca, mergulho, aproveita-se a praia quando o sol está a pino! Se você não gosta de alguma dessas coisas, ou nenhuma delas, simplesmente escolha outro lugar para morar, ou aprenda a aproveitar o que a SUA ESCOLHA lhe proporciona!

    Não entendi o que alguns colocaram sobre as praias e a mudança da capital… O que isso tem a ver? Parece um concurso de associação livre? Querem transferir a capital para onde? Pro meio da serra onde tudo é demorado? Pro parque industrial no norte do estado dando espaço pra mais corrupção e lavagem de dinheiro?

Subir ↑