UM DIA AO SUL

Qualquer passeio prolongado pelo sul da ilha melhora com duas medidas: acordar pouco urbanizado e muito cedo.

O pouco urbanizado ajuda a fruir melhor um canto de mundo onde habitantes misturam vidas dos séculos 21 a 18 – e onde grande parte dos estabelecimentos não está nem aí para a sua expectativa cosmopolita nervosinha de ser atendido com o máximo de eficiência possível. O muito cedo ajuda a evitar filas já extensas no meio da manhã.

Este texto é do Guia Naipe Verão 2012. Confira o guia online. Leia mais, nas p.83 a 97, sobre o sul da ilha.

Clique aqui para ver onde encontrar o guia impresso, que é gratuito.

Há opções de passeio que monopolizam o dia: o de barco para a Ilha do Campeche e trilhas maiores, como até a Lagoinha do Leste ou a cachoeira da Gurita (leia sobre as três opções na p.94 do guia). São passeios ideais para se começar de manhã, com sol mais baixo. Demandam pelo menos quatro horas e deixam o turista prejudicado.
Não sendo o caso, comece o sul pela Praia do Campeche. Essa Jurerê menos yuppie e com um pouco mais de tatuagens tem comércio lento, se comparado à velocidade em que ganha condomínios de alto padrão. O grande mérito está na praia de 3,5 km, e é claro que querendo ver gente você irá para os 200 metros do Riozinho, faixa de areia que mescla saudáveis de academia e de vida inteira.

Tarde e noite

Obviamente, a paisagem humana pode motivar a continuar no Campeche pelo resto do dia. Mas optando por outras paisagens, há duas grandes alternativas: o sudeste da ilha, uma sequência de praias que começa no Morro das Pedras e termina no Saquinho; e o sudoeste, que compreende do Ribeirão da Ilha até Naufragados. É difícil conciliar esses caminhos em um mesmo dia – em boa parte, apenas mato separa os dois lados. Veja restaurantes em diferentes praias do sul nas p. 91 a 93.

Sudeste

Não sendo aconselhável encarar uma trilha muito grande à tarde, a melhor pedida no sudeste é a breve trilha de cimento sombreada que liga da Solidão à Praia do Saquinho, uma comunidade de sete décadas e quase nenhum morador na sua dúzia de casas. Na faixa de areia de menos de 100 metros, algumas das inúmeras pedras formam piscinas naturais. Não há eletricidade, mas um restaurante com sistema de refrigeração a gás garante as geladas que pede o cenário. A trilha Solidão-Saquinho leva 25 minutos para quem caminha rápido. “Para que caminhar rápido?”, pergunta a dona do restaurante local. Na volta, saia da SC-406 para entrar na Praia da Armação e visite o Bells Pubstel Surf House (p.89), pub e hostel 24h com sinuca e, nas noites dos finais de semana, despretensiosas festas à beira-mar.

Sudoeste

A trilha mais curta e com a maior recompensa no sudoeste é a que leva da Caieira a Praia de Naufragados. Entre os navios que a praia viu irem à pique estava uma embarcação espanhola do final do século 16 cujos vestígios – como um canhão de 1595 – foram encontradas este ano.Para chegar lá, dirija até o km 20,5 da Baldicero Filomeno, a rodovia que começa no Ribeirão da Ilha e tem, até o décimo quilômetro, a maioria dos seus famosos restaurantes especializados em ostras. A trilha para Naufragados tem um curto início íngreme, mas de resto é tranquila e pode ser cumprida em 30 minutos. Para quem não confia nas panturrilhas, barcos ao lado dos estacionamentos custam R$ 10/pessoa (preço dezembro).

Na praia você pode surfar, aproveitar o relativo isolamento (não há energia mas com frequência há muitos turistas) ou caminhar até o farol no costão direito, de 1861, o mais antigo de Santa Catarina. Também pode petiscar algo no restaurante do Andrino e ficar em um dos quatro quartos (R$ 50 e R$ 70) da prosaica Golfinho Azul (9982 3237).

Para quem tiver barraca, uma dica de ouro é fazer a trilha de volta e dirigir apenas 2,5 km até o Filó e Sofia (Rod. Baldicero Filomeno, 17.999; 3233 4117; seg. a sex., das 11h às 14h, sáb. e dom., 12h ao últ. cliente do jantar; sex. a dom., a partir das 19h), um camping que é também uma pizzaria. Aberto em 2011, o lugar é um oásis de criatividade por aquelas bandas. Isole-se em uma das cinco pérgulas e prove pizzas como a Terra (champignon, funghi e shitake ao alho, R$ 41 a grande) ou opções mais básicas (na faixa de R$ 25 as grandes). No camping há gruta, cachoeira e chuveiro com água quente. Fique por lá e tenha seu momento Urtigão.

_____

DO: Dois outlet vizinhos após o trevo do Campeche convidam namorado e namorada a comprar sem se incomodarem. O Decorô (R. Maria Madalena Blick, 25; 3338 3211; seg. a sex., das 10h às 18h; sáb., das 12h às 20h), loja da marca Resina Floripa, tem porta-retratos, vasos e outros acessórios com desconto. Um apoiador de vinho fica por R$ 15; as luminárias, a partir de R$ 58.Mulheres até encontram biquínis a R$ 79,90, mas a loja da Tropical Brasil (R. Maria Madalena Blick, 20; 3237 4127; seg. a sex., das 9h às 19h, sáb., das 10h às 16h)é mais empolgante para os cuecas. Fuja dos preços salgados das surf shops e compre sua prancha direto de quem faz. O outlet da marca é anexo à fábrica e arrega também aquela bermuda cara por R$ 98 e camisetas menos básicas por R$ 59,90.

Tags: , , , , ,


Sobre o Autor



4 Responses to UM DIA AO SUL

  1. Denise says:

    Gente, pra modi de que esse mané tá fazendo aqui? Mané não, pq nós manezinhos não ficamos mofando com a pomba na balaia e não saímos por aí falando essas coisas do além!
    Por favor, não gosta? Simples, cai fora, tá muito cheio mesmo!

  2. Mc. says:

    Sr. Thiago,
    1) com relação as praias das ilhas gregas :
    ‘ipsis litteris’ sem menor ideia…
    nos anos 80 comprei uma pequena (simples)e barata uma
    casa na ilha Patmos,na praia ‘Grikou’ 10 minutos de ‘Skala’
    o ‘porto’ ( centro) linda ! mas infelizmente durou 2 anos
    já que é muito longe ( na ocasião morava em NY) = até hoje
    as saúdades existem … não é só a praia… lá tudo é lindo
    pessoas de todo mundo… felizes por estar lá.
    2) Caribe, vou te passar só uma frase : ” … se existe o
    paraiso na terra …é no Caribe. ” a frase é do Monsieur
    Jacques Cateau.
    E à voce boa sorte !
    Nas ilhas !
    Mc.

  3. Thiago says:

    Caro Mc.

    Eu, Thiago, editor da Naipe, sou o cara menos bairrista que tem. Acho as praias do Nordeste melhores que as de SC, inclusive. Nunca me ufanizo com o nosso litoral.

    Em relação ao Caribe, sou mais as gregas.

    Mas Búzios, hum, sei não. Algumas praias realmente incríveis, mas aquele turismozinho sexual à vista no cento… dá pelo menos essa moral pra Santa Catarina. E já fosse no Saquinho, essa praia da foto que encabeça a matéria? Essa é pelo menos um 7,5.

  4. Mc. says:

    conhece Buzios ?
    lá a agua é transparente ( aí não é )
    conhece Caribe ? aí é difícil… algumas praias do MUNDO ser
    mais bonitas que as do Caribe … é IMPOSSIVEL !
    p/s : conselho : ir com passagem / hotel / etc … é mais
    barato que ir a essa praias ( sujas ) do nordeste…
    praias em SC nota : 6,5 ( ? )

Subir ↑