Na rua bibliotecacapa

Publicado em agosto 23rd, 2010 | por Rosielle Machado

47

UNIVERSO PARALELO

Quinze mil livros de bordas amareladas descansam tranquilos no número 1344 da Avenida Mauro Ramos, no centro de Florianópolis.

Olhos apressados passam reto pela placa que sinaliza, logo depois da igreja evangélica nababesca, a existência de um pequeno achado: uma biblioteca quase-pública (mas sem público) que guarda o acervo de uma vida toda.

Quem sai do pandemônio do resto da cidade e entra nos fundos da casa que esconde a biblioteca sente um leve deslocamento no espaço e no tempo. Não parece Florianópolis, nem 2010. O sol das 15h passa pelas vidraças e bate nas prateleiras cheias de clássicos de direito, sociologia, filosofia, história, teoria literária e literatura. No quintal, uma bananeira exibe um cacho verde. Volta e meia, um bem-te-vi pousa na grama. Só o que remete ao mundo lá de fora são dois computadores parados num canto.

Vale a visita. Se não para pegar um livro (nem todos são emprestáveis), pelo menos para sentar, ler e aproveitar o ambiente agradável durante um tempo.

O charme do lugar começa pela sua história. O acervo pertenceu ao político, professor e apaixonado por leitura Osni Régis. Após assistir My fair lady, estrelado por Audrey Hepburn, ele resolveu construir na sua casa uma pequena-semi-réplica da biblioteca que aparece no filme. Depois que morreu, em 1991, a família decidiu abrir o espaço ao público e criou a Fundação Prof. Osni Régis, que banca a manutenção de tudo com recursos próprios.

Para quem estuda Direito, os muitos títulos na área representam o paraíso. Mas também há clássicos literários brasileiros e estrangeiros – franceses, latinos, gregos, uma prateleira toda de Agatha Christie e muitas raridades. Entre elas, a História da Literatura Ocidental, de Otto Maria Carpeaux, em sete volumes, uma pequena autobiografia de Ferreira Gullar, cartas eróticas de James Joyce para a mulher, as obras completas de Tomás de Aquino, Karl Marx e números de revistas pouco encontráveis por aí, como a francesa Les Temps Modernes, fundada por Jean-Paul Sartre.

Fazer a manutenção de tudo isso já é complicado o bastante, por isso todas as ofertas de doações de livros são delicadamente negadas. O acervo permanece com 15 mil volumes há quase vinte anos.

“Livro é para ser lido, deixá-lo parado na estante não é o objetivo”, diz Isabel Régis, filha de Osni Régis e presidente do conselho curador da Fundação. Ela lamenta que a biblioteca tenha tão poucos visitantes. “Quando vem alguém é mais pra pesquisar na área de literatura e direito. Ou então as pessoas entram, olham o lugar e vão embora”.

Quem fica lá todos os dias cercada pelos maiores clássicos mundiais é Maria, que recebe os passantes, cuida dos livros, deixa o lugar sempre impecável e fica de olho no amadurecer dos cachos de bananas: “São mais gostosas que qualquer uma que se vende no supermercado.”

Ler um pouco, levantar, ir até o gramadinho lá fora, pegar uma banana, comer, escutar um passarinho. Por que mesmo ninguém nota aquela placa na Mauro Ramos?

_______

Quem quiser aparecer por lá pra checar se as bananas já maduraram, anote aí:
Biblioteca Prof. Osni Régis, nº 1344, Avenida Mauro Ramos, Centro, Florianópolis
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h
Mais informações: (48) 3223 4833

_______

OUTROS ACHADOS NAIPE

Clique aqui para conhecer Fernando, o cinéfilo que não deixa a cegueira atrapalhar o amor pelo cinema.

Aqui, para descobrir quem joga futebol às 4 da manhã em Florianópolis.

Aqui, para ver um filme do Roberto Carlos ilhéu cantando no Mercado Público.

Aqui, para saber sobre a nova casa de concertos de música clássica em Florianópolis, Jurerê Classic.

Aqui, para saber sobre o novo cinema de arte da ilha, o Paradigma Cine Arte.

Tags: , , ,


Sobre o Autor

Repórter da Naipe, é curiosa demais e sossegada de menos. Já passou a tarde lendo à beira do Sena, fez piquenique no Coliseu e descobriu da pior maneira possível que não existe Super Bonder na Cracóvia.



47 Responses to UNIVERSO PARALELO

  1. Anderson says:

    Bibliotecas são como templos. O silêncio toma conta do lugar, poucos vão. Está tudo ali, o conhecimento e idéias de pessoas, seres, fantasias e ilusões a repousar em uma estante. Vez ou outra algum inseto pousa para verificar se está tudo em ordem.

    Divulgue em escolas, universidades, museus, cafés, shoppings, restaurantes,…

  2. Tiago W says:

    “Fazer a manutenção de tudo isso já é complicado o bastante, por isso todas as ofertas de doações de livros são delicadamente negadas”

    ??

  3. Tiago W says:

    “Se não para pegar um livro (nem todos são emprestáveis), “

    hahahahahah valorizou legal

  4. Sergio P. Ferreira says:

    ò
    Ótima notícia. Há 20 anos vivo em Floripa e não sabia da existência dessa biblioteca. Parabéns.Irei visitá-la em breve.

  5. Elzira says:

    Obrigada Rafa, adorei saber da existência desta preciosidade tão perto de nossa casa. Adoro ler, e com certeza serei frequentador.
    y6kk6

  6. claudio garcia says:

    Sra Maria

    Recebi a informacao através de meu sobrinho. Obrigado, Diogo. Estou no outro lado do mundo, mas tambem moro aí, no Ribeirao. Fui aluno da Escola Tecnica atual IFSC, seu vizinho, do qual tambem fui aluno.Quando voltar, vou colocar essa notícia no mural da escola. Parabens a Sra e ao Sr Regis. Fui a alguns locais aqui voltados à cultura, Museu e Galeria de Arte Nacionais. Nestas circuntâncias o significado desta notícia parece que aumenta. Sinto o maior orgulho dessa iniciativa!

  7. Giovani Pacheco says:

    Que beleza! Irei conhecer o local, em breve (entrarei em férias). Sugestão: de segunda a sexta, nesse horário, nem todos podem… um horário aos sábados talvez ampliasse bastante o número de visitas.

  8. Paulo Costa says:

    Minha irmã Maria Elisabeth Machado Costa enviou-me um email falando da existência da biblioteca. Sou daqui há 68 anos e não conhecia. Parabéns. Em breve vou conhecer pessoalmente.
    Divulgação: esta é a chave.

  9. Rita de Cássia Pache says:

    Tive a honra de conhecer esse espaço quando era aluna do Prof.Osni Regis, no mestrado do CPGD/UFSC. É um acervo maravilhoso, mas, o que mais me encantou foi constatar que nosso querido mestre havia lido todas aquelas obras, falava com tranqüilidade sobre os mais diversos conteúdos e sabia a localização de cada livro naquelas inúmeras estantes. Esta biblioteca é parte de seu valioso legado. Fico feliz em saber que foi preservada e é mantida como ele deixou.

  10. Milene Baixo says:

    Parabéns a família pela iniciativa. Aproveito para parabenizar a reportagem. Vou passar para conhecer.
    Milene

  11. Genésio Anibal Ramal says:

    Parabéns a família Regis, pela iniciativa cultural e pelo local maravilhoso que o Dr. Regis criou, este homem deve ser eternizado pela acadêmia de letras de Florianópolis.
    Que o espaço seja valorizado e incluido nas indicações turisticas desta cidade incrível, que aprendi a gostar.
    Vou visitar em breve do Maria, pode nos esperar.
    Genésio / Curitiba

  12. Lenir says:

    Parabéns à família! É incrível que em Floripa exista um lugar assim.
    É uma idéia que merece receber apoio e assim , a bilblioteca poderia ter, inclusive, um café. Quem sabe? Seria maaaaravilhoso! Espero visitar o local em breve.

  13. paulo guilhon says:

    belíssima iniciativa com um lindíssimo texto . irei assim que puder.
    parabéns!

  14. Adevaldo de Souza says:

    Parabens pra vocês, boa sorte e muitos LEITORES

  15. Rita C S Cambruzzi says:

    Conheci esse espaço através de minha irmã e, não o conhecia apesar de ser nascida e criada e moradora de Florianópolis. Adorei saber que esse espaço existe e, quando pretendo dar uma passada aí para desfrutá-lo. Sugiro que haja contato com a imprensa para que haja uma divulgação à altura do espaço de leitura e conhecimento. Um abraço e, que continuem o sonho de teu pai. Rita de Cássia Silveira Cambruzzi

  16. Carmen Lúcia Gerlach says:

    Gostaria que o nome da professora Maria Helena Régis fosse adicionado ao conteúdo da matéria relacionada a essa linda biblioteca. Fomos colegas na cadeira de literatura da UFSC, uma vez levou-me a visitar sua linda biblioteca que tanto amava. Noblesse oblige certas delicadezas. Parabéns à familia por essa maravilhosa iniciativa. Nasci na Mauro Ramos e me orgulho da amizade que tinha com Maria Helena Régis.
    Um abraço da Prof. Dra. Carmen Lúcia Cruz Lima Gerlach

  17. Emarise says:

    Um lugar pitoresco assim, não pode deixar de ser visitado…
    Lindo!
    Parabéns a Familia Regis

  18. Adélia says:

    Adorei a informação. Vou passar por lá assim que puder.

  19. Iolanda says:

    Que maravilha esta informação!!
    Que iniciativa linda!! Parabéns a esta família, que como já citaram é abençoada, com certeza vou conhecer e divulgar!!

  20. Aline Paranhos says:

    Fico feliz que existam espaços e pessoas que dedicam-se ao saber.
    Colocarei na minha lista de “futuros lugares que quero conhecer”.

  21. Murilo says:

    Obrigado pela dica. Já anotei o endereço e em breve vou visitar o espaço.

  22. Cláudia says:

    Nooooooossa, não sabia dessa existência! Parabéns pela dedicação.
    A idéia de abrir aos sábados é ótima ou alternar os horários durante a semana…..

  23. Wanesa says:

    Nossa, tantas vezes passei na frente e nunca notei…
    Obrigada por divulgar e parabéns a família pela generosidade!!

  24. Iara R. Calil says:

    Que história bonita.
    Que homem especial, que família abençoada.
    Que presente para a sociedade!
    Vontade de morar nas imediações e usufruir.
    Sonho de ver iniciativas desse tipo valorizadas e multiplicadas.
    Há tantas maravilhas no caminho … peço a Deus que me conceda olhos de ver …

    Parabenizo a família e a iniciativa da divulgação. Repassarei.
    Iara Regina Calil

  25. Ubaldo C.Balthazar says:

    O lugar é ótimo, a biblioteca excelente. Já houve também uma tentativa da família, através de convênio, de repassar o acervo para a UFSC, através da Fundação Boiteux, do Curso de Direito. Não deu certo por obra e graça do Ministério Público, que inviabilizou o acordo, sob o argumento segundo o qual uma fundação (Osni Régis) não poderia se desfazer de seu acervo que constituiria a própria fundação. Tantas foram as exigências, que a família desistiu do acordo.
    Vale a pena uma visita. Conheci a Biblioteca ainda com o Prof.Osni Régis, em 1979, quando era seu aluno no Mestrado em Direito. Uma figura notável, sereno, culto, conhecia todos os livros que tinha.

  26. LIA MAFRA says:

    ISSO SÃO COISAS QUE A GENTE DEVIA TER MAIS E TAMBEM SER MAIS DIVULGADO. ESTOU PENSANDO EM IR LA SIM….PARABENS A VOCÊS .ABRÇOS LIA.

  27. Elizabeth says:

    que informação maravilhosa. Eu nunca notei a tal placa pois passo por ali sempre dirigindo. Talvez um dos motivos para a falta de visitação seja o horário. Este horário é qdo a maioria tbm está trabalhando ou estudando. Enfim pretendo ir lá mas terei que esperar minhas férias. Mas, vou divulgar.

  28. Raphaella says:

    Sou estudante de direirto, e adorei saber sobre esta biblioteca, realmente não cheguei a notar a placa, mas depois do e-mail que recebi com toda certeza vou começar a frequenta-lá!

    Boa sorte!

  29. Jose Rui says:

    eu já tinha visto a placa na casa que era ou ainda é da família do Prof. osni Régis. Bela iniciativa, pena que no nosso país estas iniciativas não são incentivadas, em qual quer outro lugar do mundo esta biblioteca seria bem divulgada.

  30. Calvin says:

    Faz muito tempo que tenho curiosidade de conhecer o espaço e, confesso, esperava muito menos. Fico feliz pela iniciativa e qualidade e vou divulgar!

  31. Marília Ardigo says:

    Estou encantada, desconhecia o lugar e em breve apareço, com toda certeza apareço.

  32. felipe says:

    Achei muito legal também.
    Pena que é em horario de trabalho.
    Sugestão: fechar 1 dia de semana para abrir no Sabado.
    O que acham?

  33. Geronimo W. MACHADO says:

    Ainda lembro bem de quando o Prof. Osni Regis foi nosso Professor de Direito, na UFSC… Fim dos anos 60.
    Professor muito respeitado, como muitos outros daquela época…
    Lembro-me, também, quando a sua esposa, Professora da UFSC, do Serviço Social, se não me engano, procurou-nos, na UFSC… Eu era Professor da Economia e do Direito (Economia Política) porque ela queria doar tudo ao acervo da UFSC, a Biblioteca do Professor Osnis Régis… E, a UFSC recusou a doação porque não tinha meios: espaço, pessoal e dinheiro para cuidar e administrar um tão qualificado e precisoso acervo… Isto, já no final dos 90 ou início de 2000! Que pena!
    Vamos aproveitar, os que puderem, a dedicada generosidade da família do Prof. Osni Regis.
    Com abraços do,
    Prof. Geronimo W. MACHADO.
    Fpolis (SC) BR.

  34. viviani bleyer remor says:

    Gente!!! que maravilha de espaço e tempo. Vale a pena ser visitado e divulgado.

  35. juliana says:

    Ótima a reportagem e fantástico o lugar! Pena que nunca conhecerei… Será que não dá pra mudar o horário um pouquinho? Fechar às 19h, abrir sábado, sei lá…

  36. Cristina says:

    Adorei, não sabia de sua existência. Pena que o horário não ajuda, deveria abrir no sábado…

  37. Roger says:

    [quote name=”Cristiane”]Eu simplesmente amei. O lugar é lindo, vou fazer uma
    visita sim!
    Ainda mais sabendo que tem livros da AGATHA CHRISTIE.
    Maria, cadê o gatinho???[/quote]
    [quote name=”Cristiane”]Eu simplesmente amei. O lugar é lindo, vou fazer uma
    visita sim!
    Ainda mais sabendo que tem livros da AGATHA CHRISTIE.
    Maria, cadê o gatinho???[/quote]

    Não entendi!!! Como você amou e achou linda se ainda nem foi lá???

  38. Letícia says:

    Lugar e reportagem fantásticos!! Amo essa biblioteca!

  39. Kellen says:

    Esse lugar é fantastico, vale a pena conferir, a reportagem ficou muito bacana, adorei!

  40. Cristiane says:

    Eu simplesmente amei. O lugar é lindo, vou fazer uma
    visita sim!
    Ainda mais sabendo que tem livros da AGATHA CHRISTIE.
    Maria, cadê o gatinho???

  41. maria says:

    que maraviha de lugar ! estou aqui das 14hs até as 18hs .espero por você.

  42. Fernanda says:

    boa pauta ;)

  43. Dani says:

    muuuito legal saber disso
    nunca soube dessa biblioteca e é o típico programa que gosto e pode ser terapêutico fazer uma pausa por ali
    show!

  44. Marina says:

    Adorei a reportagem! Adorei a biblioteca!
    Revista Naipe, parabéns pela iniciativa de divulgar coisas interessantes para se ver, fazer, curtir…
    Sucesso!
    Marina

  45. Nayana says:

    Eu passo ali há 11 anos, e todo santo dia vejo a placa e me pergunto: ‘Mas é essa a entrada mesmo? tem certeza?’ porque nunca achei a coisa bem sinalizada…

  46. katia says:

    Adorei saber como é está biblioteca.
    Há muito tempo passo pela Mauro Ramos e me perguntava “Como dever ser ?”.
    Um descoberta maravilhosa, quando puder visitarei com certeza.

Subir ↑