No Mundo legenderscapa

Publicado em maio 11th, 2011 | por Rosielle Machado

1

BONDADE EM SÉRIE

[Ilustração: Rinian Guilhermetti]

Lucas de Ávila Martins só precisa de três palavras para se descrever no Twitter: “Um dos darklegenders”.

Ele legenda séries para download. De graça, com a maior boa vontade, apenas pela soberba de pertencer a um seleto grupo de pessoas que sabem a importância do limite de 35 caracteres por linha, duas linhas por legenda, 1,3 segundo de exposição, 23 caracteres por segundo.

Há mais de 30 grupos de voluntários como o Darkside, de Lucas, no Brasil. A pergunta é: por quê?

– Olha, no começo entrei pra ajudar em Greek, uma série que eu curtia, e também porque admirava os legenders, achava um pessoal fodão e tal.

Hoje, dois anos e 200 traduções depois, Lucas “deGroote” é responsável por três séries.

– Continuo legendando pelos amigos que fiz na Darkside e porque aprendi muito inglês e português, uma melhora de 80%.

Tornar-se um legender leva em média um mês. Depois que se pega o jeito, o processo vira quase fordiano. Dois dias antes de a série ir ao ar, um administrador envia emails convocando tradutores. No dia da exibição nos EUA, divide-se o episódio entre as boas almas voluntárias. Traduzida a legenda, o texto passa pelas mãos do sincronizador e revisor até que, voilà, fica pronto para os downloads – que passam de 15 mil por semana em algumas séries.

No total, a trabalheira envolve cinco pessoas. Para a administradora da inSubs, Flávia Marcela, são 20 horas de dedicação semanais, o equivalente a um estágio – sem R$ 500 ao final do mês. Os legenders só embolsam agradecimentos via Twitter e uns três segundos e meio de compaixão dos espectadores quando os créditos de legenda aparecem na tela.

Eventualmente, as legendas podem render mais que isso. Para Lucas, do ensino médio, resultou em experiência para alguns frilas. Ele já fez closed caption de Power Rangers a R$ 25 o episódio. Apesar disso,
descarta a possibilidade de se profissionalizar:

– Muita pressão, estresse. É para poucos.

Que o digam os legenders de Gossip Girl, obrigados a lidar com a cólera de adolescentes cada vez que as letras amarelas atrasam. A resposta mais recente veio no blog da inSubs, equipe responsável pela série: “Resolvemos viver. Perdemos muita coisa na última temporada, integrantes, amigos, momentos com a família, matérias na faculdade, promoções no trabalho, e tudo por causa de quê? Por causa dos fãs de Gossip Girl que esperam meses pra série passar no Warner Channel mas não conseguem esperar dois dias pra legenda ficar pronta.”

Outros legenders desistem quando começam o TCC, o vestibular, um novo emprego, um namoro exigente. De tanto contato nas madrugadas de legendagem, eles viram amigos. Os que moram nas mesmas cidades marcam encontros. A coisa dá até casamento. Michele e João se conheceram num chat dos darklegenders em 2009 e hoje traduzem juntos enquanto planejam unir escovas de dente e habilidades tradutórias.

No Twitter, João hoje se define assim: “Noivo da Mi, Téc em elô, legender da Outsiders. Viciado em séries e PC”.


Sobre o Autor

Repórter da Naipe, é curiosa demais e sossegada de menos. Já passou a tarde lendo à beira do Sena, fez piquenique no Coliseu e descobriu da pior maneira possível que não existe Super Bonder na Cracóvia.



Os comentários foram encerrados.

Subir ↑