DIÁRIO DA CHINA

[Fotos: Richard Schmidt]

A China é hoje o terceiro destino turístico mais procurado no mundo, logo atrás dos Estados Unidos e da França, segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT).

O casal de Florianópolis Richard Schmidt e Rafaela Ferreira passou dois meses na terra de Mao Tsé-Tung, mas não só por turismo. Além de conhecer as cidades de Shanghai, Pequim, Guilin, Guangzhou, Foshan, Hong Kong, Macau e Yiwu, eles participaram de uma feira para procurar equipamentos para a empresa da família. Durante os dois meses, Rafaela manteve uma espécie de diário de viagem, registrando as belezas, os choques culturais, aprendizados, dificuldades de comunicação e alimentação. Leia:

02/04

Estamos na China, em Shanghai. Já observamos que é tudo gigantesco. Os chineses nos olham com cara de fãs e são simpáticos, mas já participamos do som da primeira escarrada na rua, espécie de costume local. Nunca vi tantos prédios na minha vida, multidões se espremem neles. Já tenho me deparado com algumas coisas que li no livro da Sônia Bridi, o banheiro é uma delas. Eles não possuem senso de privacidade, o quarto do hotel é separado do banheiro por um vidro transparente enorme.

03/04

Finalmente consegui dormir uma noite inteira. Acordei antes das 7h. Nosso café da manhã aqui neste hotel é bom, eles procuram fazer um cardápio mais ocidental. Tem até feijão, pão, frutas, suco, iogurte, cenoura, tomate e berinjela. Eu aproveito pra comer de tudo um pouco porque sei que durante o dia é dose! Ontem quando paramos pra almoçar em um restaurante e vi cobra no cardápio nem pensei duas vezes e pedi logo um frango que parecia razoável na foto. Ele veio rapidinho, frio e cru num óleo, com um tipo de cachaça. Nem toquei, nem tentei.

Sobre o inglês, estamos em Shanghai e disseram que seria o melhor lugar pra se comunicar, mas não estou achando. São poucos os que falam, mas os que falam sempre querem nos ajudar, dando informações e auxiliando.

07/04

“Ontem conseguimos ter um pouco mais de noção do que é a China, é uma diversidade incrível, riqueza e pobreza”

Estamos em Pequim (Beijing). Ontem conseguimos ter um pouco mais de noção do que é a China, é uma diversidade incrível, riqueza e pobreza. O hotel foi uma surpresa! O melhor hotel que já nos hospedamos na vida, e muito barato. Por esse preço, no Brasil, não conseguiríamos mais que um pulgueiro.

Aqui em Pequim não vemos gente trabalhando até muito tarde. Dez horas da noite já está tudo fechado, diferente de Shanghai. Visitamos a cidade proibida e o palácio de verão, um dos vários exemplos de megalomania deles. Amanhã vamos conhecer a muralha da China com direito a subida de teleférico e descida em uma espécie de escorregador.

12/04

Guilin foi uma cidade surpreendente, não esperávamos ver coisas tão bonitas. Fizemos um passeio noturno de barco que foi surpreendente. Hoje vimos os famosos arrozais, difícil explicar, perde-se de vista, inacreditavelmente rudimentar. Amanhã saímos de Guilin e vamos a Guangzhou. Começa a feira, termina o turismo e começamos os trabalhos. Serão dias a fio andando por galpões imensos com cartão de visita na mão, sacola de panfletos e caderninho de anotações.

Temos conhecido lugares fantásticos, mas não consigo me concentrar na beleza das grandiosidades que são as construções e a mistura do antigo com o novo por aqui, já que minha concentração está em:

1 – Não ser derrubada por empurrões quando alguém dispara na nossa frente querendo tirar alguma foto artística das namoradas (e eu na torcida que a correria fosse cup noodles em promoção)

2 – Desviar dos simpáticos senhores na minha frente levantando perninha de um lado e depois do outro e soltando aquilo que eles consideram errado manter dentro deles (mas meu nariz não concorda)

3 – Sair de perto quando escuto aquela puxada da alma que antecede o lançamento à distância de ostras (não, não são somente cuspidinhas como eu imaginava)

4 – Tentar me convencer que batata Pringles é uma refeição totalmente balanceada e nutritiva e neste momento necessária pra minha sobrevivência! O Richard tenta comer tudo, olha com cara de nojo, mas prova… eu olho, se não gostei nem tento! Não dá!

22/04

Estamos dormindo a segunda noite na casa de um amigo do Richard na cidade chamada Foshan. A novidade por aqui são as comidas. Na primeira noite o casal nos levou a um restaurante japonês e, depois de dias sem comer direito, parecia que estávamos em Floripa jantando num final de semana. Finalmente!

“O apartamento tem paredes de vidro na sala e uma vista legal para o parque e para as luzes nos prédios à noite. Eles amam tudo que reluz, que é dourado, que tem purpurina, que chama atenção. Os Jetsons com glamour! Engraçado”

A cidade é bonitinha, o apartamento deles fica de frente para um parque bem verde. Bonito de ver e quase novidade aqui na China. Ainda mais sendo esta uma cidade industrial. O apartamento tem paredes de vidro na sala e uma vista legal para o parque e para as luzes nos prédios à noite. Eles amam tudo que reluz, que é dourado, que tem purpurina, que chama atenção. Os Jetsons com glamour! Engraçado.

05/05

Nossa vigem a Hong Kong foi muito boa! Lá é tudo diferente, tudo liberado, as pessoas mais soltas, outro modo de vestir, andar, falar, agir, totalmente cosmopolita. Depois partimos pra Macau, que foi a primeira e última colônia de Portugal. Deu pra curtir muito, mesmo em somente um dia e meio. As ruas lembram muito cidades do nosso nordeste, aqueles prédios antigos amarelinhos, verdinhos, cor de rosa. Aproveitamos pra comer bacalhau no restaurante de um português que está lá há 22 anos, o seu Santos.

Em Macau ainda fomos à maior torre de bungeejumping do mundo, a vista era de 360º e o chão de vidro! Passeamos pela cidade e descobrimos que lá sim é a Las Vegas da China. Existe um prédio em formato de abacaxi, luminoso do primeiro ao último andar. Durante o dia ele é bem nas cores mesmo de um abacaxi. Ficamos de boca aberta em frente àquela obra gigante sem saber se ríamos, se balançávamos a cabeça, um misto de ridículo com impressionante!

Bem alimentados por uns dias na casa dos amigos e depois desta vinda a Macau, podemos continuar por mais algum tempo na dieta fast food.

15/05

Estamos em Yiwu, cidade que fica próxima (duas horas e meia de trem rápido) de Shanghai, aonde teremos que voltar pra pegar o avião.O clima aqui é bem agradável, em compensação quase ninguém fala inglês. A conversa inicia-se assim: “Do you speak english? (Você fala inglês?). Yes, small. (Sim, pequeno)”. “Open the light” foi a que mais gostei! Assim meu inglês ruim não fica tão ruim para eles.

A linguagem deles é realmente decoreba. Uma pessoa que fala mais ou menos mandarim sabe em média 3000 ideogramas. Dizem que uma pessoa que fala bem pode chegar a 8000. Já pensou ter tudo isso na cabeça e ainda saber desenhá-los?

26/05

Últimos dias em Shanghai! Quando cheguei aqui ainda pronunciava “Xangai”, como uma boa brasileira. Mas agora estou até falando difícil como eles, a pronúncia é mais ou menos assim “Xan-hai”. Tenho conseguido me comunicar com os taxistas. Pesquisamos na internet o lugar que queremos ir e eu consigo entrar no taxi e falar sem ter que mostrar papelzinho. O Richard se diverte e diz que já posso ser quase a tradutora dele na China.

Estamos em contagem regressiva para a volta. Shanghai é a primeira cidade que chegamos na China e será a última. Conhecemos o trem mais rápido do mundo, chegou a 431km/h. Um frio na barriga inexplicável. Olhando pela janela parecia uma fita cassete sendo rebobinada! Visitamos também um dos edifícios mais altos do mundo, com 490 e tantos metros de altura.

Não resisto a eles me chamando de “Frenda” e me oferecendo “Zala” e “Loléx”, igual ao cebolinha da Mônica. Pérolas, sedas (não tão puras) e badulaques comprados, estamos prontos para voltar!

Tags: , ,


Sobre o Autor



3 Responses to DIÁRIO DA CHINA

  1. Scheila says:

    Muito bom o diário. Deveríamos ter mais disto antes de viajar para algum lugar, nos dá realmente uma boa noção do que vamos encontrar.

  2. Ana Paula says:

    Muito bom o diário nos traz um poquinho do que realmente é China e um gostinho pra conhecer!

  3. Fernando Fagundes says:

    Muito interessante o Diário. Tambem quero viajar para China.

Subir ↑