No Mundo lagoa1

Publicado em maio 20th, 2013 | por Camille Bousez

1

VIVER NA LAGOA

“Na Ilha com Camille” é uma série de posts que mostra expectativas e realidades de uma belga que faz estágio na Naipe e aprende português em Florianópolis. Leia os textos anteriores aqui

Novo artigo, novo tema: desta vez, vou provar com A+B que viver na Lagoa é como viver no paraíso para uma belga.

A) É esplêndido! Que pena que a janela de minha cama não dá diretamente para a Lagoa, mas se eu me curvar um pouco posso ver através das árvores. Acho que vou me mudar para cá apenas para aproveitar desta paisagem cada dia da minha vida. Vocês não podem imaginar quantos pores do sol que a gente assistiu, sentados sobre um banco ou um trapiche. Mágico!

B) As praias são ao lado ou máximo 20 minutos a pé. E que praias! Praia Mole (a gente adora), Joaquina (para correr e ver a vista desde as rochas), Galheta (não porque ela é nudista. Eu consigo imaginar vocês com seus pequenos sorrisos). Na última semana, fomos ali com a trilha pela Barra da Lagoa através das montanas e foi muito bom, fora a enorme aranha que nos encontramos no caminho. Isso me permite me exercitar. Com as subidas que há aqui, ir à praia a pé é o mesmo que fazer uma hora de esporte na academia (e eu vou ter um bonito bumbum quando vou voltar na Bélgica! Héhé).

C) Todo mundo é tranquilo. Não sei se é a água ou alguma coisa no ar, mas as pessoas aqui estão peace, eles parecem felizes e não ansiosos.  O momento que eu prefiro é o fim da semana quando as famílias vão aproveitar o dia sobre a borda da Lagoa. Aos domingos, quando todos restaurantes estão cheios, dá a impressão de ser férias. Eu adoro também a pequena feira artesanal da Praça Pio XII.

Acho que vou me mudar para cá apenas para aproveitar desta paisagem cada dia da minha vida. Vocês não podem imaginar quantos pores do sol que a gente assistiu. Mágico!

D) Eu posso correr. Bem, isso não só por causa da Lagoa. O sol faz muito também, mas é um lugar muito agradável. Como eu não conheço as ruas muito bem, eu faço sempre o mesmo itinerário: pousada – ponte – pousada. Eu já tentei pousada – Joaquina – ponte – pousada e foi simpático, mas minhas pernas não gostaram.

E) Podemos fazer quase tudo a pé (ou com ônibus, se é mais longe): ir à loja da esquina, ir à praia, comer um sorvete, ir ao restaurante, sair, etc. Na Bélgica, quando quero alguma coisa, preciso usar o carro porque não há nada na minha cidade. Há ônibus, mas eles passam três ou quartas vezes por dia. Eu creio que jamais caminhei tanto desde que cheguei aqui, o que não está mal para minha saúde. E podemos encontrar tudo, ainda que, sejamos honestos, algumas lojas de roupas a mais não fariam mal (é a verdadeira mulher em mim que fala). Falando nisso, se vocês têm endereços para me avisar…

F) Para sair, é bastante bom: há alguns lugares na avenida das Rendeiras. Nós experimentamos o John Bull, a Casa de Noca (várias vezes!), o Bar do Boni (ao lado da pousada – mas para beber uma cerveja à tarde). A gente não se chateia nos fins de semana na Lagoa!

Próxima etapa: pegar o barco para ir à Costa da Lagoa. Eu já tenho pressa de contar a vocês o que acho disso.

Tags: , , ,


Sobre o Autor



One Response to VIVER NA LAGOA

  1. Babi says:

    A Costa da Lagoa é um deleite! Com certeza meu lugar preferido na Ilha.
    Não deixe de caminhar pela “Freguesia”, caminho ao sul por trás dos restaurantes, as casinhas dos moradores locais são bem charmosas. Ou, se estiver com disposição, no sentido norte há uma trilha que leva à Ratones, e do alto se vê toda a Lagoa da Conceição, as dunas da Joaquina, os morros da Praia Mole, o farol da Barra da Lagoa, a praia do Moçambique…
    Bom passeio!

Subir ↑