Pirão badmouthingdentro

Publicado em fevereiro 24th, 2011 | por Thiago Momm

4

FALA-SE MAL

Fala-se mal. Por implicância, inveja, ignorância. Por cinismo ou falta de relativismo. Pra não perder o costume, pra não se perder do cardume.

Fala-se mal à toa, fala-se mal numa boa. De quem tem e de quem pede. De quem pode e de quem não tem nada a ver com isso. Na dúvida, sempre se fala mal.

Fala-se mal por maldade, vício ou esporte. Por leviandade, ódio ou falta de norte. Fala-se mal do amigo, do inimigo e de quem não se parece comigo. “Não é querer dizer”, diz alguém, e lá vem o falar mal. Fala-se mal por má-fé, má-vontade ou má-interpretação. Por email, celular ou comentário subliminar.

Eu falo, tu fala, ele fala, nós falamos, vós falais, eles falam – quase sempre mal. Quanto maior a hipocrisia, mais o falar mal alivia. Fala-se mal por ranço, vingança ou falta de imaginação. Falar mal deveria ser o gatilho do agir, mas só leva a outro falar mal e assim por diante. Falar mal é mal sem solução.

Do atacante ao dirigente, do sem-teto ao presidente, fala-se mal, indistintamente. Fala-se mal do feio e do bonito, do maestro e do resto, do artista e do outro motorista. Fala-se mal do vizinho, e você nunca fala mal sozinho. Em nome da melhoria ou busca da perfeição, falam mal os críticos do autor, da obra e da adaptação.

Por fracassomania ou porque é pauta do dia, fala-se mal. Fala-se mal com cinismo, jactância e moralismo. Por interesse, intolerância, conspiração. Em silêncio. Na presença. Se finge neutro, o falar mal, que no fundo é pessoal. Faz parte da rotina, falar com língua viperina.

Fala-se mal de quem fala mal. Fala-se mal da revista e do jornal, que aliás falam bastante mal. Fala-se mal da regra e da exceção – por ibope, ceticismo ou por autopromoção. Do terno à tatuagem, fala-se mal do cabelo e da camisa, do piercing, da blusa e de tudo que se usa. Falar mal é lei supranacional.

Fala-se mal pra destruir, difamar ou divertir. Por excesso de decência ou opinião. Porque falta assunto, sobra ponderação. Pra não quebrar a corrente, porque falaram mal da gente, e você viu o que ele fez? Fala-se mal por apego à intuição, tradição à traição e porque se pensa que falar mal é isso mesmo, uma sina e ponto final.

E às vezes fala-se bem, mas em seguida vem o porém.

Tags: , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Jornalista encarnado em literatura, viagens e história, é editor da Naipe, deixou porque quis a reportagem de turismo da Folha de S.Paulo e agora contrai dívidas para viajar. Um dos seus idealismos é emprestar livros do Henry Miller.



4 Responses to FALA-SE MAL

  1. Tiago Rodrigues says:

    Olha, não é querer falar mal, mas esse texto tá animal!

    Sensacional Thiago!

  2. Jana says:

    Excelente artigo. Parabéns.
    Muito bem escrito.

  3. Eu says:

    Fala-se mal por ser mau caráter!!!

Subir ↑